Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

terça-feira, 10 de maio de 2016

Resenha: "Meu Erro Predileto", de Giselle Tavares, Editora PenDragon

Olá, Principas e Princesos!

"Quando se comete um erro por amor, não pode ser chamado de erro. O amor nunca será um erro."

Mais uma vez, encontro-me diante de uma obra que me fez tremer, e deixaram meus orbes inundados de lágrimas.
Giselle Tavares
O livro "Meu Erro Predileto", de Giselle Tavares, publicação da Editora PenDragon, tem um poder que pouco se encontra nos diversos romances presentes pelo mundo afora. Sua estrutura narrativa arranca as mais diversas emoções dos leitores. Nunca experimentei uma variada carga emocional como a sentida nessa obra. O livro causa um turbilhonamento sentimental que até perco a noção da arte de escrever.
Os sentimentos – experimentados ao ler somente os três primeiros capítulos para relatar minhas primeiras impressões (vide aqui) – não se igualam aos que tocam meu coração nesse momento em que li a obra completa.
Meu erro foi acreditar que o livro de Giselle Tavares seria apenas uma grande reflexão sobre os erros concernentes ao Amor. A autora conseguiu a proeza de usar uma linguagem divertida no estilo adolescente e causar reflexões próprias da idade madura. Por meio de uma trama inteligente, inseriu uma boa dose de mistério que aprisiona de forma agradável o leitor em suas páginas. Que doce prisão!!!
O início de cada capítulo é precedido
por um trecho de música
A obra remonta às diversas facetas dos sentimentos humanos e em especial, o amor. O caráter psicológico é denso. O enredo cativa todas as idades por causa de sua complexidade. Fiquei abismado com o talento de Giselle. Deparo-me com uma escritora iniciante cuja alma desvela a experiência de grandes autoras. Talvez tenhamos uma Jane Austen brasileira. Vejo nela um grande potencial cujas características meritórias devem ser aplaudidas.
Contraditoriamente em "Meu Erro Predileto", parece não haver erros, porque encontramos os mais belos e perfeitos acertos que se deveriam manifestar em qualquer obra literária.
Giselle escreve um romance com ares de poesia, filosofia e psicologia. Seu talento exala perfeição. Tudo começa com o sonho de Jullyanna. Para ser mais exato, temos o pesadelo da protagonista.

"Ele chegou perto de mim e aproximou sua mão do meu peito.
— Isso vai doer!
— Vai doer hoje e por muito tempo.
E então arrancou meu coração do peito e começou a parti-lo em vários pedaços enquanto ria histericamente."

O pesadelo, em questão, traz uma carga simbólica onde vemos a tradução do primeiro conflito do livro. Jullyanna propala sua dor sem entender direito o que iria ocorrer. O pesadelo prenuncia uma traição.
Contracapa com a Sinopse do livro
Logo, descobrimos que nossa heroína será ferida no âmago por seu namorado Pedro. O coração será esmigalhado por aquele que ela sonhava ser a perfeição masculina. Nesse início, temos flashbacks bem descritos e que revelam o nascimento do relacionamento com Pedro. A escrita de Giselle delineia com maestria a origem de um romance adolescente. Nesse ponto, a obra envolve os leitores mais jovens com sonhos e os mais velhos com a nostalgia.
Fiquei boquiaberto com a escolha criteriosa dos vocábulos presentes. Giselle soube escolher os momentos certos até para inserir palavrões no contexto da obra. 
No princípio, as narrações feitas em primeira pessoa, são protagonizadas por Jullyanna. Depois, os diversos personagens do livro tomam força e narram seus pontos de vista. O ritmo da obra ganha uma notoriedade maior, enlevando-nos a meditações mais arraigadas. Mesmo nos momentos mais engraçados, não se enxergam toques de superficialidade.
Bela Lombada
Com a traição, Jullyanna sofre por um tempo, mas pondera sobre a situação traumática e segue novos rumos. Descobre que pode dar a volta por cima e realiza mudanças em sua vida.
Nesse ínterim, surge Daniel, um belo rapaz, que desperta turbilhões emocionais em Jully. Sucessões de erros não faltam no livro, entretanto todos são erros prediletos.
Algo que denota o talento da jovem escritora é a narração feita pelas figuras masculinas. Giselle penetrou no cerne da alma masculina e surpreendeu-me. Poucas mulheres conseguem expressar a interioridade do homem como ela fez. Evidente que a presença de Daniel serviu como início de um novo romance com cenas picantes.


Obra autografada pela Autora
"Daniel colou meu corpo na parede e enquanto nos beijávamos suas mãos passeavam pelo meu corpo.
Segurei o cós da sua calça e fui tirando lentamente.
Ele tirou minha camisola, minha calcinha e ficou olhado um tempo para o meu corpo. Fiz o mesmo com ele e ao ver aquele corpo sarado e aquele volume na minha frente, minhas pernas tremeram e meu corpo se arrepiou todo.
Com os corpos colados como se nós dois fossemos um só, caímos em minha cama. Quando percebi, estava deitada na minha cama com aquele Deus grego em cima de mim."


Depois de todas essas coisas, posso dizer que o livro chegou no seu clímax. O romance não perde suas características reflexivas, mas recebe um impulso ao tornar-se uma história cheia de mistérios.
Figuras anônimas compõem o pano de fundo da obra. Tudo instiga a curiosidade. Não há formas de parar com a leitura. "Meu Erro Predileto" transforma-se em Meu Vício Predileto. Como qualquer viciado, permaneço firme em meu vício até exaurir-me com a leitura. O final é lindo demais e toca o coração dos espíritos mais românticos.
Só tenho uma queixa em relação à autora. Ela escreveu um livro para torturar os resenhistas que sentem um imenso desejo de revelar certos fatos mirabolantes, mas devem guardar segredos a sete chaves (risos).
Giselle Tavares nasceu como escritora proeminente. "Meu Erro Predileto" deve ser lido e aplaudido. A Editora PenDragon fez a escolha certa ao publicar essa obra. As CINCO ESTRELAS que dei ao livro no Skoob são insatisfatórias perante o livro da Gisa (Olha a intimidade! Risos!). Deveria existir a possibilidade de classificar o livro com INFINITAS ESTRELAS.

Para quem não sabe, tornei-me amigo da autora. Hoje, além do amigo, ela ganhou um fã que sempre irá venerá-la (Dulia) como escritora.
Como último recado para os leitores, deixo uma citação da obra que impactou-me fortemente:

"Se tiver que escolher entre a verdade e o amor, escolha o amor, pois o amor é a maior verdade que existe."

Para a autora, escrevo:

Gisa
Parabéns! Você me enganou da melhor maneira existente. Seu livro trouxe-me imensas surpresas. Sabia que o romance traria fortes cargas reflexivas, no entanto, nem desconfiava dos mistérios instigantes. Sua criatividade merece elogios. Seu livro me fez sorrir, chorar e sobretudo aprimorar-me como ser humano.
Sucesso pra você, minha Principa!!! Você arrasou!!!
Beijos do Fê!!!

Queridas Principas e Queridos Princesos!!!
Muito obrigado por me acompanharem nessa resenha. Aguardo seus comentários.
Para adquirir a obra, clique aqui.
Beijo no coração e até breve.

7 comentários:

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!